domingo, 28 de agosto de 2011

Apoie o seu filho nos estudos


É possível ajudar, no sentido das crianças alcançarem com êxito as metas escolares. Descubra como dar-lhes o auxílio necessário.

Uma vez que os pais representam um modelo para os filhos, é importante atender à sua postura perante a escola e os respectivos professores. Na verdade, é difícil fomentar numa criança ou num adolescente uma atitude positiva perante esta instituição.

“ Desde cedo, é fundamental incutirem-se hábitos de estudos e rotinas de trabalho”, afirma a psicóloga Ana Gonçalves Corrêa. Para se alcançar o sucesso escolar, na opinião da especialista, “deve atender-se a que todos somos diferentes, sendo importante que o plano de estudo atenda às características e capacidades individuais de cada um”. Ou seja, “um método de estudo que se revela eficaz para um filho não tem de ser, necessariamente, adequado a outro”. No entanto, “devem ser contemplados, também, momentos de pausa, que se destinem a outro tipo de atividades lúdicas ou à prática de exercício físico”.

(...)

Deve atender-se, também, ao local que se disponibiliza em casa onde o seu filho pode estudar, o qual deve ser “tranquilo e confortável”, mas sem elementos que possam distraí-lo, como o televisor e o computador por exemplo.

(...)

“Ainda existe muito a ideia de que os alunos não fazem mais do que a sua obrigação em estudar e obter bons resultados. (...) “deve sempre elogiar-se o trabalho, empenho e esforço aplicados, para além dos resultados obtidos”.

(...)

É indispensável um envolvimento das figuras paternais, no sentido de acompanhar a matéria que os pequenos dão nas aulas e de saber como corre o dia-a-dia no estabelecimento de ensino que frequenta, o que favorece o interesse pelas disciplinas e estimula os estudos. Além disso, permite “uma correcta articulação entre o trabalho realizado em casa e aquilo que é esperado por parte da escola”. Esse envolvimento é, também, e por si só, um estímulo para os próprios pais no que respeita ao reconhecimento dos benefícios do estudo e da escola.

Os incentivos dos pais

Os pais podem ainda procurar estimular os filhos, disponibilizando livros e outros materiais pedagógicos, os quais fomentam o desenvolvimento cognitivo e intelectual, com o intuito de facilitar a assimilação de conteúdos distintos e concedendo uma maior preparação para a integração das aprendizagens escolares. Proporcionar um ambiente familiar equilibrado, onde impera a capacidade de escuta e a compreensão, é crucial para os processos de aprendizagem, determinando o desempenho escolar. “Para além da estabilidade emocional que confere, fomenta um espaço e uma abertura que possibilita a partilha de dúvidas, dificuldades e medos, com vista à resolução dos mesmos”, conclui Ana Gonçalves Corrêa.

Cubos, puzzles, damas, xadrez, sudoku, dominó, bingo, Monopólio... De acordo com a experiência da psicóloga, todos estes jogos “fazem parte de uma enorme variedade de materiais didácticos e pedagógicos que estimulam as aptidões intelectuais e cognitivas, contribuindo para o desenvolvimento sócio-afectivo”.

(...)

A escolha entre os diferentes materiais disponíveis “deve depender do objetivo dos mesmos, assim como da idade para a qual estes se destinam”, pelo que “esta deve reunir-se com a dos seus filhos. Em função das respectivas idades, estes jogos procuram o desenvolvimento e a aquisição de competências específicas de acordo com o período de desenvolvimento em que o indivíduo se encontra”. É importante, no entanto, que não desvalorize nem critique a forma como o seu filho está a proceder, uma vez que os referidos jogos servem, isso sim, para estimular e exercitar o raciocínio. Ensine-lhe as regras de cada um e deixe-o pensar o tempo que for necessário quando for a sua vez de jogar, como acontece com as damas e o xadrez.

Como lidar com a resistência

Os pais têm de saber reagir à frustração sempre que não conseguem incentivar os mais pequenos a gostar de algo que eles, por exemplo, também não gostaram. No entender de Ana Gonçalves Corrêa, “é primordial que os pais procurem motivar os filhos, em especial para as temáticas que se revelam menos prazenteiras. Naturalmente, detemos uma maior capacidade de atenção, compreensão e raciocínio, quando sentimos gosto e interesse por aquilo que fazemos ou estudamos”. Com efeito, deve-se explicar a importância e as mais-valias subjacentes a cada disciplina, de forma a despertar um maior interesse pelos assuntos abordados.

(...)

Serviço de Orientação Educacional - CTPM/RO

Fonte: Crescer - Especial Saúde & Educação - Novembro 2010

Disponível em:http://www.filhosdea-z.com/temas/familia/apoie-o-seu-filho-nos-estudos/




Nenhum comentário:

Arquivo do blog